Home / Acontece / Textos e Reflexões

DA MORTE AO PARAÍSO (ENTENDA A MORTE NA VISÃO CRISTÃ)

Lucas 23:42-43 Então ele disse: "Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino". Jesus lhe respondeu: "Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso".

Da morte para o paraíso

O Que é a Morte

Gênesis 2-3 ensina que a morte penetrou no mundo por causa do pecado. Nossos primeiros pais foram criados capazes de viverem para sempre. Ao desobedecerem o mandamento de Deus, tomaram-se sujeitos à penalidade do pecado, que é a morte.

3 tipos de morte

1 - Adão e Eva ficaram agora sujeitos à morte física. Deus colocara a árvore da vida no jardim do Eden para que, ao comer continuamente dela, o ser humano nunca morresse (ver Gn 2.9 ). Mas, depois de Adão e Eva comerem do fruto da árvore do bem e do mal, Deus pronunciou estas palavras: “és pó e em pó te tornarás” (Gn 3.19). Eles não morreram fisicamente no dia em que comeram, mas ficaram sujeitos à lei da morte como resultado da maldição divina.


2 - Adão e Eva também morreram espiritualmente quando desobedeceram a Deus, pois isso destruiu o relacionamento íntimo que tinham antes com Deus (ver Gn 3.6 ). Já não anelavam caminhar e conversar com Deus no jardim; pelo contrário, esconderam-se da sua presença (Gn 3.8). A Bíblia também ensina que, à parte de Cristo, todos estão alienados de Deus e da vida nEle (Ef 4.17.18); isto é, estão espiritualmente mortos.


3 - Finalmente, a morte, como resultado do pecado, importa em morte eterna.  A vida eterna viria pela obediência de Adão e Eva (cf. Gn 3.22); Ao invés disso, a lei da morte eterna entrou em operação. A morte eterna é a eterna condenação e separação de Deus como resultado da desobediência do homem para com Deus.


A única maneira de o ser humano escapar da morte em todos os seus aspectos é através de Jesus Cristo, que “aboliu a morte e trouxe à luz a vida e a incorrupção” (2 Tm 1.10).

Ele, mediante a sua morte, reconciliou-nos com Deus, e, assim, desfez a separação resultante do pecado (ver Gn 3.24 nota; 2 Co 5.18 ). Pela sua ressurreição Ele venceu e aboliu o poder de Satanás, do pecado e da morte física (ver Gn 3.15 nota; Rm 6.10 nota; cf. Rm 5.18,19; 1 Co 15.12-28;)

Seguem-se algumas das verdades reveladas na Bíblia a respeito da morte do crente.

1 - A morte, para os salvos, não é o fim da vida, mas um novo começo.
Neste caso, ela não é um terror (1 Co 15.55-57), Mas um meio de transição para uma vida mais plena. Para o salvo, morrer é ser liberto das aflições deste mundo (2 Co 4.17). E do corpo terreno, para ser revestido da vida e glória celestiais (2 Co 5.1-5). Paulo se refere à morte como sono (1 Co 15.6,18,20; 1 Ts 4.13-15). O que dá a entender que morrer é descansar do labor e das lutas terrenas (cf. Ap 14.13).


2 - A Bíblia refere-se à morte do crente em termos consoladores.

Por exemplo, ela afirma que a morte do santo “Preciosa é à vista do SENHOR”  (Sl 116.15);

- E a entrada na paz (Is 57.1,2);
- E na glória (Sl 73.24);
- É ser levado pelos anjos “para o seio de Abraão” (Lc 16.22);
- É ir ao “Paraíso” (Lc 23.43);
- É ir à casa de nosso Pai, onde há “muitas moradas” (Jo 14.2);
- É uma partida bem-aventurada para estar “com Cristo” (Fp 1.23); É ir “habitar com o Senhor” (2 Co 5.8);
- É um dormir em Cristo (1 Co 15.18; cf. Jo 11.11; 1 Ts 4.13);
- “é ganho… ainda muito melhor” (Fp 1.21,23);
- É a ocasião de receber a “coroa da justiça” (ver 2 Tm 4.8 ).

Assim, quando aceitamos a Jesus Cristo como nosso Salvador, sua vida eterna começa desde agora. Abrace este fato espiritual. Isto lhe dará liberdade de se concentrar na renovação de sua mente (Rm 12.1; Ef. 4.23-24), no cultivo dos frutos do Espírito (Gl 5.22-23) e na restauração da imagem de Cristo no seu espírito (Rm 8.29). E isto. Vida eterna já.

 

PASTOR FLAVIO DAMIANO

Ver todos os textos e reflexões.